Fé, oração e manifestações devocionais marcam Jubileu de Matosinhos, em SJDR

A igreja celebra no dia 14 de setembro a festa da Exaltação da Santa Cruz, uma tradição iniciada por volta do ano 300, após Santa Helena encontrar o madeiro em que Jesus Cristo foi crucificado. Segundo o papa Francisco, o cristão não exalta uma cruz qualquer ou todas as cruzes. “Exalta a Cruz de Jesus Cristo, porque é nela que foi revelado o máximo amor de Deus pela humanidade”, explica. Na Paróquia de Matosinhos, a data é marcada pelo ápice do Jubileu. Alvorada, missas, procissão e benção do Santíssimo Sacramento embalam a programação do dia festivo.

Desde 1774, o Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matosinhos proporciona aos fiéis momentos de fé e devoção. A festa, que acontecia simultaneamente ao Jubileu do Divino Espírito Santo, ganhou dedicação exclusiva com a instalação da Paróquia, em 1960. Neste ano, com um motivo a mais para

Fazer pedidos ou agradecimentos, essa era a missão de muitos fiéis que passaram pelo santuário nessa quarta-feira. Maria Dorvalina Detomi, por exemplo, não se cansou de rezar aos pés da imagem do crucificado em atitude de agradecimentos pelas graças alcançadas. “Quando eu tinha 44 anos eu engravidei da minha filha. Foi uma gravidez complicada, mas coloquei nas mãos do Bom Jesus e deu tudo certo. Ela nasceu com saúde e ainda pude engravidar novamente, tendo um filho padre que era meu sonho”, recorda.

Após a última missa do dia, foi iniciada procissão com a imagem do padroeiro pelas ruas do bairro. A mobilização foi grande. Ruas enfeitadas, demonstrações de fé, aplausos, orações e lágrimas. Vigário paroquial, Padre Ronan celebra a data do Bom Jesus junto com a comemoração do seu aniversário. Uma devoção forte e que se intensifica cada vez mais. “Tenho ‘Jesus’ do meu nome (Ronan Jesus) devido à devoção. Ou seja, ela me marca desde o nascimento e me acompanha por toda a vida. Ter nascido no dia do Bom Jesus foi fundamental em minha formação cristã e na vivência da minha espiritualidade. Como devoto, que sou até hoje, me sento totalmente amado por um Deus, louco de amor pelo seu povo, ao ponto de morrer na cruz. Sempre me tocou os devotos se identificarem tanto com o Cristo sofredor e, diante da imagem, olhá-lo, beijá-lo ou tocar nos pés machucados. Através dessa tão bela devoção, aprendemos a entregar a vida, ferida pelo mundo, à Deus e a confiar inteiramente no seu amor”.

Pelas redes sociais, Maria Do Carmo Lovatto Amorin expressou sua alegria em participar da festa. “Esse Jubileu é uma verdadeira demonstração de fé dos paroquianos e devotos do Senhor Bom Jesus de Matosinhos”. Há também aqueles que aproveitaram o momento para fazer agradecimentos como Dona Abigail. Com a saúde debilitada, a senhora agradeceu, durante o cortejo, pelas graças alcançadas. “Se estou aqui hoje é por causa d’Ele. Já não tenho lágrimas de tanto chorar de emoção”.

No trajeto, Vanda Abreu fazia sua orações e admirava a imagem, toda ornada com flores. “O Bom Jesus é meu tudo. Minha fortaleza, meu único e verdadeiro amor, minha vida. Sempre recorre a Ele nas minhas orações porque só Ele alivia as minhas dores”, destaca a devota.

Emoção grande, também, para Érick Freitas. O jovem que cresceu participando das atividades pastorais, se viu com a missão de deixar a festa ainda mais bonita. “Ter essa devoção ao Bom Jesus é mais do que especial em minha vida, desde pequeno sempre frequento o jubileu e cada vez que passa esse sentimento é ainda mais intenso, é maravilhoso poder contribuir de alguma forma com a realização da festa. É bem cansativo, mas quando vemos tudo pronto, no seu devido lugar, é muito gratificante. Poder retribuir ao Senhor um dom que Ele me concedeu”, explica o decorador.

Na chegada da imagem, ápice da emoção. Chuva de papel picado, aplausos, músicas e orações, envolveram os devotos presentes. Ao término da procissão, no interior do Santuário, os fiéis entoaram o Hino de Ação de Graças e receberam a bênção do Santíssimo Sacramento.

Fotos: Fabiola Ribeiro