Feira das Pastorais em Nazareno marca o encerramento do Ano do Laicato

Uma grande movimentação tomou conta da primeira edição da Feira das Pastorais, realizada neste fim de semana, na Paróquia Nossa Senhora de Nazaré. O evento, que reuniu dezenas de pastorais e movimentos atuantes na paróquia, marcava o encerramento do Ano do Laicato, além de valorizar o protagonismo leigo na comunidade.

Este ano temático foi iniciado na Solenidade de Cristo Rei de 2017 e teve o objetivo  de celebrar a presença e a organização dos cristãos leigos e leigas no Brasil, aprofundando a sua identidade, vocação, espiritualidade e missão, na tentativa de traduzir, na prática, a renovação eclesial promovida e encorajada pelo Concílio Ecumênico Vaticano II e as diretrizes apontadas pelo Papa Francisco na Evangelii Gaudium, (A alegria do evangelho) Laudato Sí (O cuidado com a casa comum), Amoris laetitia (A alegria do amor), Gaudete et exultate (sobre a vocação à santidade) e outros pronunciamentos.

Na Paróquia de nazareno, a programação teve início na quinta-feira, 21, com o tríduo e adoração na igreja matriz. Mas as atenções ficaram mesmo para a noite de sábado, 24, com a abertura das standes e dos espaços temáticos. Ao todo foram 4 ambientes diferentes: o Centro de Pastoral Padre Francisco de Andrade, o Salão Paroquial, a Sala de Promessas e a Tenda de Oração, montada nos arredores da igreja, onde ocorreu a Cristoteca.

Segundo o pároco e idealizador do projeto, padre Rondineli Cristino, a ideia surgiu em sua viagem para Marquette, na Flórida, nos Estados Unidos. “Ao visitar a paróquia da região pude conhecer e participar de uma feira similar. Vi que era uma boa oportunidade de divulgar os trabalhos da igreja e convidar aqueles que ainda não participam. É uma forma mais atrativa”, explica.

Cassia Maria de Carvalho Braga é coordenadora dos Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística (MECE) e não exitou em montar sua tenda com informações sobre os trabalhos prestados na comunidade. “Foi muito valiosa essa iniciativa. Foi uma forma de reunir os leigos e mostrar os vários serviços que a paróquia oferece. Uma grande amostra que serviu de convite para quem ainda não participa”, explica.

A feira teve início às 20 horas na noite de sábado e se estendeu até a tarde de domingo. Um dos momentos fortes foi a Cristoteca promovida pelos grupos juvenis. “A gente percebe que a juventude tem muitas coisas que proporcionam um afastamento de Deus. Com a Cristoteca, mostramos que é possível unir lazer, fé e alegria. Foi muito bom toda a feira. Acredito que proporcionou um certo incômodo em quem não é atuante na igreja”, opina João Victor de Abreu, de 18 anos.

O ano do laicato terminou, mas a vocação e missão das Leigas e Leigos são permanentes. Que se continuem sendo sal da terra e luz do mundo, “na família, no trabalho, na política, nas ciências, nas artes, na educação, na cultura, nos meios de comunicação, na cidade, no campo.” Que os Leigos e as Leigas continuem buscando compreender “sua vocação e identidade, espiritualidade e missão, e atuem de forma organizada na Igreja e na Sociedade, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres” (Oração para o Ano do Laicato).

A programação teve seu término na noite de domingo, com missa especial na intenção de todos os leigos atuantes na paróquia e confraternização, concluindo, não só a feira, mas o Ano do Laicato.

24 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).