Feliz Páscoa!

A antífona de entrada da Missa do Domingo de Páscoa nos oferece essas palavras inspiradas: “Ressuscitei, ó Pai, e estou sempre contigo: pousaste sobre mim a tua mão, tua sabedoria é admirável, aleluia!”

Ressuscitei, estou sempre contigo: é o que Jesus Ressuscitado disse ao Pai naquela madrugada de Páscoa e é o Ele diz eternamente no íntimo da Trindade. Os sofrimentos atrozes do calvário, a humilhante morte na cruz, o silêncio do sepulcro; nada disso foi capaz de romper a união existente entre Cristo e o Pai. No auge da mais cruciante dor, Jesus consumou a sua vida como uma entrega por amor. E essa vida entregue foi aceita por Deus Pai como oblação. A ressurreição é o sinal mais eloquente dessa aceitação. É a confirmação de que tudo na vida de Jesus se fez conforme a vontade do Pai e, justamente por isso, Ele foi glorificado.

Ressuscitei e estou sempre contigo: esta também é a palavra que Deus dirige a cada membro da Igreja, a cada pessoa de boa vontade. A presença de Jesus ressuscitado é a causa da nossa mais profunda alegria, apesar das tribulações que tantas vezes nos surpreendem e envolvem a nossa vida com inúmeras incertezas.

Ressuscitei e estou sempre contigo: é o que Jesus diz a cada comunidade cristã, a cada paróquia que integra a nossa Diocese. Nesse ano, as circunstâncias geradas pela pandemia, nos obrigaram a celebrar a Semana Santa de uma forma completamente diferente. As medidas sanitárias desaconselharam as aglomerações. Pela primeira vez na história, muitas das nossas piedosas e solenes tradições não se realizaram. Todavia, aquilo que é o fundamental não nos faltou: a presença de Jesus a nos congregar como Igreja viva, em nossas casas e nas celebrações realizadas nas Matrizes, mesmo com a presença de poucos ministros. A ausência justificada desses momentos públicos e solenes não significou o fim da nossa fé nem o desparecimento da Igreja. Muito pelo contrário: nossa Igreja Particular se experimentou intensamente como uma grande rede de Igrejas domésticas onde a Páscoa não deixou de ser celebrada.

Graça pascal por excelência é esta: experimentar a presença do Ressuscitado, de maneira nova e mais profunda, a cada ano, apesar de todas as limitações e provações impostas pelo momento em que vivemos.

Ressuscitei e estou convosco para sempre! Que a alegria profunda que nos é comunicada por essa proclamação pascal envolva a sua vida, as vida das nossas comunidades e nos fortaleça para caminharmos sempre unidos ao Senhor.

25 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).