Fiéis celebram Nossa Senhora Aparecida em Lavras e demais paróquias da Diocese

Foi com uma pequena imagem de barro, quebrada, que a fé do povo brasileiro se transformou. A história começa há mais de três séculos, em Guaratinguetá/SP, com três pescadores. Nossa Senhora Aparecida é cultuada como padroeira do país e arrasta multidões de devotos no dia 12 de outubro, acarretando diversas manifestações de fé e práticas devocionais.

Na igreja dedicada ao título mariano, em Lavras – única paróquia da Diocese de São João del-Rei – centenas de fiéis se reuniram para celebrar a Mãe de Jesus Cristo. Com movimentação intensa, o dia foi de festa, oração e alegria. “O milagre de Aparecida continua acontecendo. Basta ver a demonstração de fé das pessoas para perceber as diversas graças que recebemos. Aqui é um dos pontos mais altos da nossa cidade e Maria, a Virgem de Aparecida, olha e protege a nossa cidade. Ela que nos leva até Jesus Cristo”, destaca o pároco da comunidade, Padre Clayton Nogueira.

A programação teve início logo cedo e contou com 5 celebrações de missas, caminhada de fé, carreata e procissão. Durante todo o dia a igreja matriz esteve de portas abertas, recebendo visitas e entrelaçando histórias. Alguns fazendo pedidos, outros agradecendo. O terço nas mãos era como uma ‘vestimenta obrigatória’. O artigo religioso reforçava, ainda mais, a conexão do fiel com a Virgem Maria. Um saldo positivo da festa. “A festa foi um momento marcante para toda a comunidade paroquial, principalmente quando escolhemos o tema: Comunhão, participação, missão. Parece, a princípio, três palavras soltas que na verdade fala do objetivo da igreja Sinodal”, explica o sacerdote.

Este ano a festa contou com várias novidades, programações religiosas, sociais e culturais. “Embora a novena em preparação muito nos fez crescer com a presença de cada sacerdote e Bispo, Dom José Eudes Campos do Nascimento, que nestes dias aqui se fizeram romeiros e pregadores. Hoje, me resta bendizer a Deus e suplicar a Mãe de Deus que interceda por todos. A comunidade paroquial se deu ao máximo para fazer a festa digna do título. Obrigado a todos trabalharam, que se doaram, rezam e participaram destes dias de festa aa nossa padroeira”, concluiu o pároco.

manifestações de fé e devoção

Padroeira do Brasil

Foi em 1717 que três pescadores da região do Vale do Paraíba, em São Paulo, passaram a noite inteira em busca de peixes, mas não obtiveram sucesso. Durante as tentativas, eles tiraram das águas escuras uma imagem de Nossa Senhora, que veio nas redes em dois pedaços: primeiro o corpo e, em seguida, rio abaixo, a cabeça. Os pescadores, que antes não tinham conseguido pescar nada, encheram as redes com uma quantidade abundante de peixes.

No local foi criado um pequeno altar como forma de agradecimento a Nossa Senhora pelo seu primeiro milagre. Nascia ali uma devoção à santa, nomeada Nossa Senhora Aparecida. Foi durante o Congresso Mariano que o líder do episcopado brasileiro, dom Sebastião Leme, cardeal arcebispo do Rio de Janeiro, apresentou aos bispos a proposta para pedir à Santa Sé (Vaticano) que declarasse Nossa Senhora Aparecida a Padroeira do Brasil. A nomeação aconteceu em julho de 1930, pelo papa Pio 11.

FESTA EM TODA A DIOCESE

E não foi só em Lavras que houve festa em honra a Nossa Senhora Aparecida. Nas 43 Paróquias da Diocese houve programação especial. Missas, procissões, carreatas, caminhadas de fé, cavalgadas, bênçãos especiais. Tudo para louvar e agradecer a proteção da Virgem Maria, a padroeira do Brasil.