Fiéis vão às igrejas da região para receberem cinzas e iniciar o período quaresmal

A última quarta-feira, 26, amanheceu com um ar diferente na região do Campo das Vertentes. Após os dias carnavalescos a Igreja deu início ao Tempo Quaresmal, um convite para a reflexão, oração, sacrifício e penitência. Na Diocese de São João del-Rei mais de 70 missas foram realizadas nas seis regiões forâneas. Com início pela manhã, as celebrações reuniram milhares de fiéis.

Durante a celebração os fiéis receberam as “cinzas”, como sinal de penitência e compromisso com a conversão. “Este Tempo Quaresmal vem estimular a conversão e a mudança de vida. É uma oportunidade para fazer uma avaliação da vida, da intimidade com Jesus. Reconhecer como pecadores e que, mesmo assim, Deus nos ama. É o momento de fazermos o esforço para não criticarmos o nosso próximo, não cometer calúnias contra o nosso semelhante e trabalhar na construção do Grande Reino”, explica Dom José Eudes.

Em sua homilia, durante a missa na Catedral Basílica do Pilar, o bispo também pontuou trechos na carta do Papa Francisco para os brasileiros em decorrência da Campanha da Fraternidade e falou da necessidade em praticarmos a misericórdia para com o outro. “Que a Quaresma e a Campanha da Fraternidade, inseparavelmente vividas, sejam para todo o Brasil um tempo em que se fortaleça o valor da vida, como dom e compromisso”.

As cinzas utilizadas neste rito provêm da queima dos ramos abençoados no Domingo de Ramos do ano anterior. A elas, mistura-se água benta. De acordo com a tradição, o celebrante utiliza essas cinzas úmidas para sinalizar uma cruz na fronte de cada fiel, proferindo a frase “Lembra-te que és pó e que ao pó voltarás” ou a frase “Convertei-vos e crede no Evangelho”.

Na Quarta-feira de Cinzas a Igreja Católica aconselha os fiéis a fazerem jejum e não comerem carne. Esta tradição já existe há muitos anos e tem como propósito fazer com que os fiéis tomem parte do sacrifício de Jesus. Assim como Jesus se sacrificou na cruz, aquele que crê também pode fazer um sacrifício, abstendo-se de uma coisa que gosta, neste caso, a carne.

25 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).