Igreja festeja santa das rosas e missões no 1º dia de outubro

No dia 1º de outubro os católicos celebram Santa Teresinha, conhecida como a “Santa das rosas” e padroeira das Missões. A data foi marcada por festa em várias paróquias da Diocese.

Em São João del-Rei, a comunidade que leva o nome da santa, nos arredores do grande Matosinhos, contou com uma vasta programação, incluindo celebrações de missas, benção das rosas e procissão. “Santa Teresinha é modelo de vida para todos nós. Transmite-nos vocação, fé e força em nossa missão”, explicou o pároco, padre José Bittar. A festa este ano abordou a temática “Batizados e Enviados: a Igreja de cristo em missão no mundo”, buscando como referência o Mês Missionário Extraordinário, proposto por Papa Francisco.

Na parte da tarde os fiéis saíram em procissão pelas suas do bairro. Chuvas de pétalas e aplausos acompanharam todo o cortejo. Inspirada na imagem da santa, muitas meninas se caracterizaram com o hábito “da santinha carmelita”. Umas como forma de promessa, outras, por admiração da autora do livro “História de uma Alma”.

Haviam “Teresinhas” dos mais variados tamanhos e idades. Analice, por exemplo, seguiu o desejo da mãe, Simone, e aderiu a tradição de homenagear a santa. “Sempre disse que, ao ter uma filha, vestiria ela de Santa Teresinha. Acho bonito manter esta tradição. Nossa santinha merece todas estas homenagens”, destaca.

A programação teve seu desfecho com benção do Santíssimo Sacramento e benção das rosas.

Do outro lado da cidade os fiéis percorriam o centro histórico, homenageando a santinha carmelita. Festejada na Igreja de Nossa Senhora do Carmo, Santa Teresinha recebeu missa e procissão em sinal de sua devoção.

Em Lavras, a festa reuniu dezenas de fiéis no seminário dehonista. Segundo o diretor do seminário, padre Anderson, a simbologia da rosa vem desde a vida da santa, quando realizou uma promessa. “Santa Terezinha ficava feliz quando jogava pétalas de rosas ao ver passar o Santíssimo Sacramento no ostensório, e também gostava de jogar flores no grande crucifixo que ficava no jardim do Carmelo. Disse antes de morrer que faria chover rosas como símbolo de interseção à Deus. Por isso, durante a Novena de Santa Terezinha o fiel espera receber uma rosa como sinal de que seu pedido será atendido”, explica.

Às 19h30  foi iniciada a Santa Missa, presidida pelo bispo da Diocese de São João del-Rei, Dom José Eudes e concelebrada por Pe. Anderson, Pe. Guido, Pe. Ademir e Pe. Túlio. Dom José Eudes parabenizou e agradeceu a Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus pelos 75 anos da criação do Seminário Dehonista em Lavras, 75 anos vividos com muitos frutos. Dirigiu também sua palavra de incentivo aos trabalhos desenvolvidos em prol das vocações nesta casa e encorajou os jovens que se sentem chamados a perseverarem no caminho vocacional. Aos leigos, Dom José recordou as qualidades de nossa padroeira para a vida cotidiana dos fiéis. Ao longo da celebração demonstrou diversas vezes a surpresa com o expressivo número dos presentes.

Findada a Missa, ocorreu a bela apresentação das Meninas Cantoras de Lavras. Aconteceu também uma chuva de pétalas de rosas, lançadas de um helicóptero, causando uma verdadeira comoção nos presentes. A Festa continuou com as barraquinhas, com pastéis, feijão tropeiro e caldos, além de uma variada oferta de doces e tortas.

Festa devocional de Santa Terezinha do Menino Jesus

Posted by Seminário Dehonista on Tuesday, October 1, 2019

24 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).