Jubileu de Matosinhos reúne milhares de fiéis em Dia da Exaltação da Cruz

A igreja celebra no dia 14 de setembro a festa da Exaltação da Santa Cruz, uma tradição iniciada por volta do ano 300, após Santa Helena encontrar o madeiro em que Jesus Cristo foi crucificado.

Segundo o papa Francisco, o cristão não exalta uma cruz qualquer ou todas as cruzes. “Exalta a Cruz de Jesus Cristo, porque é nela que foi revelado o máximo amor de Deus pela humanidade”, explica. Na Paróquia de Matosinhos, a data é marcada pelo ápice do Jubileu. Alvorada, missas, procissão e benção do Santíssimo marcaram o grande dia.

Desde 1774, o Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matosinhos proporciona aos fiéis momentos de fé e devoção. A festa, que acontecia simultaneamente ao Jubileu do Divino Espírito Santo, ganhou dedicação exclusiva com a instalação da Paróquia, em 1960.

A tradicional festividade trouxe, este ano, o tema “No testemunho jovem das Sagradas Escrituras, celebramos o Bom Jesus”, em sintonia com a Exortação Apostólica pós-sinodal “Christus vivit”, do Papa Francisco aos jovens e cristãos. “Foram dias abençoados que nos arrancaram lágrimas de tanta beleza. Enfim, uma festa linda, com espiritualidade e diversão. Festa completa onde estivemos pertinhos de Jesus”, destaca Geovana Dos Santos.

Pela manhã, paroquianos e visitantes se reuniram no adro do santuário para o “Café com o Padroeiro”. Grandes mesas, com centenas de bolos e “quitandas” deixaram o dia festivo com uma sabor diferenciado: de confraternização e partilha.

As celebrações começaram cedo. Ao todo, foram seis celebrações de missa durante o dia festivo. Na parte da manhã, houve missa especial com crianças e adolescentes dos estabelecimentos de Ensino da Comunidade e à tarde, missa Solene com o bispo diocesano, Dom José Eudes Campos do Nascimento. Quem esteve no Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos ou acompanhou de casa pela TV Campos de Minas ou via internet, teve a oportunidade de fazer suas orações e preces.

No fim da tarde os fiéis seguiram em procissão pelas ruas do bairro, levando no andor a imagem do Cristo, esculpida em cedro, no século XVIII, com altura de dois metros. No trajeto, ruas enfeitas, chuvas de papel picado e fogos de artifício.

Na chegada ao Santuário de Matosinhos, padre Geraldo Magela, juntamente com os padres José Bittar e Marcos Alexandre, convidaram os fiéis a fazer suas orações e agradecerem as graças alcançadas. No interior do Santuário aconteceu a Bênção do Santíssimo Sacramento.

A programação encerrou no domingo, 15, com missa para os enfermos e procissão motorizada por todo o território da paróquia.

24 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).