Lagoa Dourada vai ter um museu na Matriz

Todas as cidades precisam de lugares especiais que contem um pouco de sua história. E Lagoa Dourada está muito próxima de ter esse espaço. Com a finalidade de resguardar a trajetória do município, o pároco da Igreja Matriz de Santo Antônio, padre José Walter de Carvalho, disponibilizou duas salas vagas para expor peças religiosas e históricas, criando um museu.

“Ao assumir a Paróquia de Santo Antônio em 2006, eu encontrei um grande número de imagens e santos barrocos guardados na Sala Paroquial”, conta. Ele destaca, também, que as peças estavam guardadas em local inapropriado e que sempre desejou criar um museu para reconhecimento do valor histórico dessas obras de arte para Lagoa Dourada.

Peças que vão integrar o acervo do museu de Lagoa Dourada na Igreja Matris da cidade na região das Vertentes - Foto: Divulgação
Peças que vão integrar o acervo do museu de Lagoa Dourada na Igreja Matris da cidade na região das Vertentes – Foto: Divulgação

Museu
O museu ainda está em fase de montagem com organização e estudo sobre as peças. No entanto, o pároco local acredita que mais objetos devem aparecer, já que muitos deles estão nas casas de moradores e em igrejas rurais. “O objetivo com a reunião desses artefatos é resgatar o valor histórico da cidade, que está esquecido, além de manter as peças em bom estado de conservação”, acrescentou Padre José.

Outra iniciativa proposta pelo pároco seria uma parceria com as secretarias de Educação e de Cultura e Turismo para a formação de guias, criando um roteiro turístico que valorize a história de Lagoa Dourada. No trajeto seria incluído o forte da Guerra dos Emboabas, as fazendas históricas e o acervo com peças e objetos barrocos na matriz da cidade. Com relação ao fato de ser aberto ao público, o padre admite que não planeja deixar o museu em funcionamento integralmente, mas sim para as visitas guiadas.

Antônio Trindade Gomes trabalhou na reforma da Igreja Matriz e acompanha o processo de desenvolvimento do Museu. Para ele, a iniciativa é uma oportunidade de as pessoas conheceram mais sobre a cidade.

”Acho que será histórico para a comunidade. Sinto-me muito feliz de participar dessa construção e resgatar a nossa história”, diz.

As Peças
Não há número preciso de peças, já que o inventário com esse levantamento ainda está em andamento. Padre José destaca, no entanto, que são muitas imagens, peças de prata e resplendores. A maioria delas é de cunho religioso, incluindo imagens de santos, castiçais, fazedor e cortador de hóstia, taças. O restante engloba, por exemplo, coroa do rei e da rainha do congado. Há também esculturas que seriam de mestres locais.

Com relação à situação de conservação das peças, algumas precisavam de restauração urgente, mas a maioria delas já passou por outros tratamentos. “Algumas sofreram intervenções de forma inadequada, o que causou perdas. Por isso, vamos contratar um profissional para trabalhar com essa questão”, explicou o religioso.

Futuro
Ainda não há data prevista para a inauguração do museu. Mas o pároco local adianta que alguns processos já estão encaminhados, como a restauração de peças e a instalação de câmeras.

Fonte: Gazeta de São João del-Rei