Padroeiro do cozinheiro, São Benedito ganha altares diversos junto das panelas e temperos

Se for na cozinha de uma casa e encontrar a imagem de um santo próximo à dispensa, não se estranhe. Esse costume é tradição em muitas casas e provêm da devoção à São Benedito. O santo negro conquistou o coração dos brasileiros e se tornou muito popular. Em muitas cozinhas brasileiras não falta a imagem do santo. Patrono de todas as cozinheiras e cozinheiros.

Entre as panelas e os temperos, a imagem do santo está ali, cuidando da dispensa da casa da Luciana, para que não falte nada para ela e sua família. “Na minha cozinha São Benedito está ali, sempre presente. Ganhei da minha mãe quando me casei, já é uma tradição na família. Acreditamos que São Benedito olha por nós em nossa cozinha e abençoa os nossos alimentos”, explica.

São Benedito nasceu na Sicília, ilha ao sul da Itália, em 31 de março de 1524. Era filho de escravos. Os patrões de seus pais fizeram uma promessa de liberdade para o primeiro filho, por isso, quando Benedito nasceu, foi declarado livre. Ele não sabia ler nem escrever, mas foi eleito superior do mosteiro onde vivia.

As pessoas gostavam muito dos conselhos de Benedito. Durante sua vida ele cozinhava em um convento e no Brasil, é o padroeiro da cozinha, das cozinheiras e dos cozinheiros. São Benedito atendia a todas as pessoas que podia com respeito, paciência e amor fraterno. Era um costume dele dizer às pessoas que estavam passando por dificuldades: “Tende fé, e o Senhor vos consolará!”

26 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).