Paróquia de São Sebastião (São Sebastião da Vitória)

Forania de São João del-Rei

Padroeiro (a): São Sebastião

Dia Maior: 20 de janeiro

Pároco: Pe. Rogério Antônio Zanolla

sao_sebastiao_vitoria

Histórico

1) Dados

Distrito de São Sebastião da Vitória

(Situa-se na Rodovia 265, distância de 20 kilômetros de São João del-Rei, sentido Lavras).

2) Criação: 19 de março de 1925 pelo Decreto da Instituição Canônica pelo Ex.mo e Rev.mo Dom Helvécio Gomes de Pimenta, Arcebispo de Mariana:

 Decreto da Instituição canônica da Paróquia  de São Sebastião da Vitória. Arcebispado de Mariana

“Dom Helvécio Gomes de Oliveira

Por Mercê de Deus e da Santa Sé Apostólica

Arcebispo de Mariana

Aos fiéis cristãos, Saudação e Bênção em Nosso Senhor Jesus Cristo.

Aspiram desde alguns anos os fiéis habitantes do Distrito civil de São Sebastião da Vitória, Capela filial da Paróquia de São Miguel do Cajurú, do Município e Comarca de Eclesiástica de São João del Rei, deste Arcebispado de Mariana, que o seu Distrito seja eclesiasticamente elevado à categoria de Paróquia conservando as suas atuais divisas civis, as quais confinam com as Paróquias de São Miguel e Almas de Cajurú, donde é desmembrada, de São João del Rei, de Nossa Senhora da Conceição da Barra, de Madre de Deus do Turvo e de Nossa Senhora  de Nazaré,  abrangendo alguma parte territorial destas Paróquias, e compreendendo uma população suficiente para sustentar decentemente o respectivo Pároco. E como é dever Nosso, próprio do múnus Episcopal, favorecer quanto possível a multiplicação do pasto espiritual do rebanho confiado à Nossa solicitude Pastoral, considerando que aqueles diletos filhos tem enviado todos os esforços para melhorar materialmente a sua Capela principal, dotá-lo de patrimônio, casa para residência do futuro Pároco e aquisição de paramentos decentes e alfaias necessárias para o maior decoro do culto divino e se acham na feliz disposição de espírito de concorrer para a sustentação do Pároco próprio,  de escolas paroquiais e outras obras recomendadas pelos sagrados cânones, ouvido previamente o parecer unanimemente favorável do Nosso Cabido Metropolitano e exigido também o voto dos Reverendíssimos Párocos interessados, e à vista das informações favoráveis e pedido insistente do falecido Forâneo Monsenhor Gustavo Ernesto Coelho, em virtude da Nossa Autoridade Ordinária havemos por bem exigir e instituir esta nova Paróquia no Nosso Arcebispado e elevar a dita Capela de São Sebastião da Vitória à categoria e dignidade de Matriz, com todos os privilégios, honras e direitos de que pelo Direito e costume gozam todas as Matrizes neste Nosso Arcebispado, como pelo presente Decreto exigimos e elevamos, sujeitando à jurisdição do novo Pároco todo o território, populações, oratórios e lugares pios compreendidos pelas referidas divisas do atual Distrito Civil, que são discriminados do modo seguinte: “Começam na Cachoeira do Bom Retiro, descendo por ela até o Rio Grande e por este acima até as divisas da fazenda denominada “Rio Grande”, voltando pelas divisas do Distrito de Cajurú, até o ribeirão Samambaia, descendo por este até o encontro do ribeirão da Dona, subindo por este  até o córrego do Moinho da Barra, na divisa de Joaquim Gomes, subindo por este córrego até a estrada, subindo por esta até frontear o córrego do Mato Virgem, descendo por este até apanhar o Valo das Figueiras, seguindo por este valo até apanhar a estrada que parte do Rio Grande para São João del Rei e por ela afora até encontrar a estrada do Cajurú à Vitória, seguindo por esta até frontear o córrego João da Silva, descendo por este até o córrego da Lavrinha e por este abaixo até o seu encontro com o córrego do Ipê, subindo por este a um valo e por este afora até o encontro do córrego do Retiro e por este abaixo até o a Ponte Pequena, subindo  por este até o Morro Vermelho, até a estrada que vai da Vitória para São João del Rei, seguindo  por esta estrada até Tapera da Canela, seguindo pelo córrego de mesmo nome até o encontro da estrada da Mata da Paciência, seguindo por esta até o Ribeirão do Amaral, fronteando a casa de Dona Anna Josephina da Costa Braga, descendo por este ribeirão até o Rio das Mortes (pequeno) e por ele abaixo até o encontro do Ribeirão do Barros, subindo, depois, por este até a estrada que vai da Vitória para Conceição da Barra, seguindo pelos tapumes do Sítio do Mato Grosso até o Jacarandá, descendo pelo córrego do Paiolinho até o ribeirão e por este até a Cachoeira do Bom Retiro, onde tiveram começo estas divisas”.

Por sua vez, continua:

Sujeitamos esta nova Paróquia, que declaramos amovível e conservará o nome de São Sebastião da Vitória, sob o Patrocínio do seu celeste Padroeiro, à Comarca Eclesiástica de São João del Rei.

Haverá na nova Matriz os livros necessários e sólidos, exigidos pelo Cânom 470 e pela Pastoral Coletiva dos Exmos e Revmos Senhores Arcebispos e Bispos do Sul do Brasil, n0 1191 e seguintes, a saber: o Livro de Tombos em que se lançará o presente Decreto, as Provisões dos respectivos Párocos, coadjutores e sacerdotes avulsos, as divisas desta nova Paróquia, todos os bens móveis e imóveis da nova Matriz, etc. Outros livros para os registros paroquiais de batizados, casamentos e óbitos, um para a transcrição das Pastorais, instruções e outros atos emanados da Autoridade Diocesana, um para o Estado das almas e dos confirmados da Paróquia, um especial para a receita e despesas da Fábrica da Matriz e finalmente mais um livro para o lançamento das Missas por ele celebradas ou distribuídas.

Ao Revdo Pároco devem os fiéis da nova Paróquia inteira obediência e reverência em tudo que respeita à disciplina eclesiástica e à salvação das almas, como responsável que é diante de Deus e da Santa Igreja pela conservação e incremento da fé e salvação de cada um do rebanho que lhe é confiado. Por ele deverão orar muito a Deus e favorecê-lo materialmente para que no meio de seus filhos espirituais tenha o conforto necessário para a conservação da vida e as consolações espirituais que compensam de certo modo os trabalhos e sacrifícios que faz para o bem geral do seu povo, o que redundará em consolações também do supremo Pastor da Diocese.

Publique-se na forma do costume em Nossa Comarca Eclesiástica e se remeta cópia autêntica ao Revmo Vigário Forâneo de São João del Rei e aos demais Vigários interessados.

Dada em Marianna, sob Nosso Selo, aos 25 de Março de 1925. E eu, Cônego Raymundo Trindade, Secretário do Arcebispado, a subescrevi.

+Helvécio

Arcebispo de Marianna

Reg. a fols. 114 do Livro da Comarca Eclesiástica

Cônego Trindade

(P.S.: Cópia do texto original do Livro de Tombo 01, Fls. 9-11,

da Paróquia São Sebastião da Vitória).

3) Padres que atenderam a Paróquia

– Cônego João Batista da Trindade (in memoriam)

– Padre Pedro Onclin (in memoriam)

– Padre Miguel Afonso de Andrade (in memoriam)

– Padre Antônio Batista Lopes (in memoriam)

– Padre José Roberto Vale Silva

– Padre Fábio Rômulo Reis

– Padre Sílvio Firmo do Nascimento

– Padre Rogério Antônio Zanolla

 

4) Administrador Paroquial

Pe. Sílvio Firmo do Nascimento. Nasceu em 01 de junho de 1956, em Nazareno/MG, filho de José Antônio do Nascimento e Terezinha Cândida do Nascimento. É filho mais velho de 8 irmãos. Ordenou-se Diácono em 12 de julho e Presbítero em 12 de dezembro de 1987 em Nazareno pela imposição das mãos do Ex.mo. e Rev.mo. Dom Antônio Carlos Mesquita (segundo Bispo Diocesano de São João del-Rei). Tornou-se Administrador Paroquial desta Paróquia em 08 de fevereiro (cf. Provisão), tomando posse em 13 de fevereiro de 1993. Assume cumulativamente a função de Capelão da Arquiconfraria São Gonçalo Garcia em São João del-Rei desde 01 de janeiro de 1989. Graduou-se em Estudos Sociais e Filosofia em 1983 na Fundação Educacional de Brusque, Brusque/SC, bacharelou-se em Teologia em 1987 no Instituto Teológico Sagrado Coração de Jesus, Taubaté/SP, afiliado à PUC-RJ, formou-se Mestre em Filosofia em 02 de novembro de 1992 pela UFJF, Juiz de Fora/MG e Doutor em Filosofia em 10 de maio de 2001 pela Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro/RJ. Exerceu os cargos de Pró-Reitor e Professor de Filosofia no Seminário Diocesano São Tiago e na Universidade Presidente Antônio Carlos – UNIPAC. Atua como Professor e Editor no Instituto de Ensino Superior Presidente Tancredo de Almeida Neves – IPTAN.

5) Secretaria Paroquial.

Funciona na Casa Paroquial. Praça Padre Lopes, 44; fone: (32)3374-2063; e-mail:paroquiasaosebastiaodavitoria@gmail.com

6) Horário de Missas na matriz

19:00h – durante a semana

08:00h – domingo

19:00h – domingo

17:00h – Januário, segundo domingo

13:00h – Caquende, terceiro domingo

13:00h – Engenho de Serra, quarto domingo

Obs.: demais comunidades, sempre que precisam e pedem

7) Padroeiro

É São Sebastião. A devoção vem da história da Guerra dos Emboabas (1707-1709), conflito travado nas Minas Gerais pelas recém descobertas jazidas de ouro, cuja vitória por parte dos mineiros foi considerada milagrosa e atribuída a São Sebastião, advogado contra a peste, a fome e a guerra. Pode-se considerar essa forte devoção popular ao Glorioso Mártir São Sebastião, por dois motivos: primeiro, devido à vida sofrida do povo da região que vive um martírio camuflado e permanente e à certeza de que o Santo é companheiro de sofrimento e não falha com seus milagres atendendo sempre às preces que lhe são dirigidas, especialmente nas horas difíceis da vida. Em segundo lugar, atribuímos a devoção popular em decorrência do trabalho pastoral bem feito pelos padres que atenderam a Paróquia, desde sua fundação até hoje e, ao povo que, trabalha firmemente junto aos seus padres por ocasião da festa do Santo utilizando-se da imprensa e da liderança regional, como procuradores, festeiros, militares, políticos e outros. Consideramos São Sebastião patrono dos fazendeiros e sitiantes. Dentre os divulgadores de São Sebastião destaca-se Padre Antônio Domingos Batista Lopes – primeiro presbítero residente – que viveu 36 anos em São Sebastião da Vitória. Construiu e manteve um bom patrimônio paróquia, como a matriz de São Sebastião da Vitória. Além da imagem primitiva venerada pelos fiéis devotos, existe uma nova imagem esculpida pelo escultor Benedito Eduardo de Carvalho de Nazareno/MG (benzida pelo Ex.mo. e Rev.mo. Dom Delfin Ribeiro Guedes (Primeiro Bispo Diocesano de São João del-Rei) e a relíquia que sai na procissão do Padroeiro na sua festa no dia 20 de Janeiro anualmente e que é utilizada para dar a bênção ao devotos de São Sebastião.

8) A Igreja Matriz

Foi construída pelo Padre Antônio Domingos Batista Lopes em dois anos. Iniciou-se a obra em 1962 e foi concluída em 1964 com a inauguração solene pelo Ex.mo. e Rev.mo. Dom Delfin Ribeiro Guedes (Bispo Diocesano de São João del-Rei/MG). Para conseguir realizar tão majestoso empreendimento diz a população local, sobretudo os mais velhos, que o Padre Lopes caminhava de fazenda em fazenda amontado a cavalo pedindo esmola. Que fazia campanha de ovos, galinha etc., realizando procissão dos ovos e das galinha etc. Soma-se a isso a amizade profunda e consideração respeitosa que o Ex-Presidente Tancredo de Almeida Neves tributava ao amável e simpático Padre Lopes. Diz a gente local que a casa paroquial era um refúgio dos carentes e dos nobres que gozavam da bondade inolvidável do saudoso Padre Lopes. Tudo era realizado com muito sacrifício tanto dele quanto das famílias. Mas o amor e a fé no Santo estavam acima de tudo.

9) Comunidades

A Paróquia possui seis comunidades rurais: Capela de Nossa Senhora do Carmo do Caquende, Capela de São Vicente de Paulo e Nossa Senhora do Rosário do Engenho de Serra, Capela de São Januário do Januário, Capela de São Geraldo das Bandeirinhas, Salão de São Vicente de Paulo do Tejuco e Cruzeiro do Cruzeiro do Leão (Capela do Valo Novo e Zueira estão sendo assistidas pelo Pe. Clécio de Olivera Alencar e Cruzeiro da Barra pelo Pe. José Bittar. Na sede existem duas comunidades: Nossa Senhora das Vitórias (igreja velha, antiga matriz) e ermida Bom Jesus do Logradouro, além da Gruta de Nossa Senhora de Lourdes e Calvário. A Paróquia possui dois cemitérios: um adjunto à igreja de Nossa Senhora das Vitórias e outro no Caquende.

  1. 10)            Movimentos e associações religiosos

Temos vários movimentos e associações religiosas como: Irmandade do Santíssimo Sacramento, Apostolado da Oração, Sociedade São Vicente de Paulo, Irmandade Nossa Senhora das Dores, Renovação Carismática Católica (implantada em 04 de julho de 1993), Cursilho de Cristandade, Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística, Coroinhas, Catequese e Conselho de Economia Paroquial – CEP, criado em 04 de maio de 2002. Por sua vez, foram trocados os bancos das igrejas do Caquende, Engenho de Serra e Bandeirinhas e colocados novos na igreja do Engelho de Serra.

  1. 11)            As principais festas contidas na Paróquia

Festa do Padroeiro (janeiro), Semana Santa (março ou abril), festa do Santíssimo e Sagrado Coração de Jesus (junho), festa de Nossa Senhora das Vitórias (agosto), Bom Jesus (novembro), Nossa Senhora de Lourdes em maio (na sede), Nossa Senhora do Carmo no Caquende (agosto), São Vicente de Paulo (setembro), São Januário (setembro), São Geraldo (outubro) entre outras (rurais).

  1. 12)            Obras construídas no período administrativo atual

Salão Paroquial São Sebastião na sede (início em 2002 e inaugurado em 2010), no Caquende e no Engenho de Serra, igreja de São Januário no Januário, onde está em obra o salão paroquial, reforma da igreja do Engenho de Serra (só aproveitando as paredes), da igreja do Caquende, da matriz e da igreja de Nossa Senhora das Vitórias, reforma do salão antigo da sede, reforma e ampliação do Centro de Saúde, construção da ermida Senhor Bom Jesus, calvário e gruta de Nossa Senhora de Lourdes na sede, reforma e ampliação da casa paroquial. Em obras ampliação do cemitério paroquial na sede e grades ao derredor do salão paroquial na sede.

Pe. Sílvio Firmo do Nascimento

Adm. Paroquial

Em 26 de dezembro de 2011

Praça Pe Lopes, 44
CEP: 36.316-000 – São Sebastião da Vitória – MG
Tel./Fax: (32) 3374-2063