Paróquia realiza festa a São João Bosco com missas e novenário

A Paróquia São João Bosco, em São João del-Rei, inicia nesta segunda-feira, 22, as festividades em honra ao padroeiro. A programação conta com missas, novenário e procissão luminosa com a imagem pelas ruas da comunidade.

Dom Bosco nasceu na Itália em 1815 e ficou órfão de pai aos dois anos de idade, mas foi muito bem educado por sua querida mãe Margarida, que muito o ajudou, até mesmo nos seus Oratórios (casas de educação e evangelização) de adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social.

Dom Bosco entregou sua vida ao cuidado dos jovens; ele dizia: “basta que você seja jovem para que eu o ame”; e sabia educar todo tipo de jovem difícil. Desde pequeno, o “Joãozinho” já liderava o grupo de colegas e fazia malabarismos para atraí-los e poder falar-lhes de Deus; quando tocava o sino, levava a turma à Igreja. Foi ordenado padre em 1841, em Turim.

Seu primeiro Oratório teve o nome do grande santo e doutor da Igreja, muito admirado por ele: São Francisco de Sales, que foi bispo de Genebra no século XVI e escreveu obras famosas como a “Vida Devota” e o “Tratado do Amor de Deus”.

Como todos os santos fundadores de Obras religiosas, Dom Bosco teve muitas dificuldades financeiras e opositores. Sua pedagogia, baseada na alegria e na bondade, tornou-se universal. Era a prática do Método Preventivo (ao invés do repressivo!), um método pedagógico simples e eficaz para educar a juventude.

Dom Bosco fundou duas Congregações religiosas: Os Salesianos de Dom Bosco e as Filhas de Maria Auxiliadora. Ambas congregações presentes em São João del Rei. Foi um escritor fecundo. Fundou escolas tipográficas, revistas e editoras para difundir a boa imprensa católica. Exerceu ação de intermediário entre a Santa Sé e o governo italiano e muito ajudou o Papa Pio IX.

A pedido do Papa construiu a Igreja do Sagrado Coração de Jesus em Roma, perto da Stazione Termini. Veio a falecer no dia 31 de janeiro de 1888, com 73 anos incompletos. Ele foi beatificado em 1929 e canonizado em 1934.