Se Deus não for brasileiro, pelo menos são-joanense ele é

Suspeitam que Deus é brasileiro, mas de uma coisa eu tenho certeza: se não for desta Terra de Santa Cruz, pelo menos são-joanense ele é. Afinal, quem foi que espelhou o Céu nas igrejas barrocas de São João del-Rei e faz repetir aqui, todo ano, desde o alvorecer do século 18, tradições que nos levam a sonhar e viver, neste mundo, ainda vivos, momentos serenos e sublimes da maravilha que deve ser a vida no Paraíso?

Mas cuidar para que tudo isso aconteça – cuidar até mesmo dos mais imperceptíveis detalhes – não é missão fácil. Muito pelo contrário. Requer desejo, competência, entrega, esforço, empenho e dedicação. Ainda mais quando esta missão é desenvolvida articuladamente com outras importantes responsabilidades paroquiais, em uma realidade mundial áspera e complexa, como é para todos a de nossos dias.

 

Foi por isto que o Senhor, demonstrando seu amor pelo povo são-joanense, há uns bons anos entregou esta missão aos cuidados do padre Geraldo Magela da Silva. Aquele que, mesmo já tendo recebido o merecido título de Monsenhor, que ele tanto honra, continua sendo para o povo de nossa terra o padre Geraldo. Próximo de todos, querido de todos, admirado e respeitado por todos, em todos os momentos.

Padre Geraldo é um tesouro espiritual de São João del-Rei e não é de hoje que zela e comanda, com tanta responsabilidade, conhecimento, sensibilidade e amor, as festividades e solenidades da Paróquia da Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar. Dia e noite em ação, ele parece não se cansar, motivado que é, por sua fé, sua vocação e seu entusiasmo. Senhor dos Montes, Bica da Prata, Alto das Mercês, Morro do Presépio, Rua Padre Faustino, Pau D´angá, Rua das Flores, Rua do Ouro – independentemente de onde seja, para ele nenhum lugar é longe. Nenhum caminho é difícil,. Nenhuma ladeira é obstáculo. Mau tempo não é empecilho. Se vai acontecer alguma celebração religiosa em alguma destas comunidades, de uma coisa podemos ter certeza: se for possível, sem dúvida Padre Geraldo vai estar lá.

Houve um tempo, inclusive, em que ele levava comunhão e uma palavra de conforto e esperança para os enfermos; atribuição de que foi liberado, em função das novas demandas e responsabilidades que recebeu. Mas sua presença semanal ficou na lembrança de todos aqueles que generosamente recebiam dele, em suas casas, Jesus Sacramentado.

Padre Geraldo sabe que a voz de Deus é sublime, que sua linguagem é divina. Que na maioria das vezes, Ele chega até nós por meio do que é belo e admirável e do que, por sua verdade, nos encanta pela sobre-humana perfeição. Por isso, discípulo que foi do saudoso Monsenhor Paiva (o querido Padre Paiva) nosso líder religioso cuida tanto para que as antigas liturgias e para-liturgias da Paróquia do Pilar não se desvirtuem e continuem fiéis às seculares tradições de São João del-Rei.

Cuida tanto para que, longe de se tornarem espetáculos turísticos vazios de significado e fé, as novenas, procissões, ofícios, encenações e missas cantadas, com todo seu esplendor, preservem a finalidade religiosa, espiritual e evangelizadora, contribuindo assim para o aprimoramento humano e social, que leva à construção de um mundo mais justo e melhor para todos, como é a vontade de Deus.

Mas ao mesmo tempo em que Padre Geraldo é um zeloso guardião das tradições e do nosso patrimônio cultural religioso, ele tem avançada visão contemporânea, e não mede esforços para colocar os avanços tecnológicos a serviço da fé.

Tanto que, desde praticamente o início do isolamento social imposto pela pandemia do Covid-19, as celebrações e procissões realizadas pelas irmandades da Matriz do Pilar passaram a ser transmitidas on-line pelas mídias sociais – Facebook e YouTube. Com isso, se propaga ainda mais a espiritualidade católica, além de inserir religiosamente e afetivamente nas celebrações os idosos, os enfermos e as pessoas que, por motivos diversos, não podem comparecer presencialmente. De casa, pelo celular ou pelo computador, ao vivo, eles podem acompanhar e participar das cerimônias que estão assistindo pela internet. Podem, inclusive, se manifestar, via chat.

Se, como disse Bachelard, “o universo tem um destino de felicidade e o homem deve reencontrar o Paraíso”, nada pode ser mais evangelizador do que o que é belo e encantador. Como tanto são a arte barroca de nossas igrejas, a música de nossas orquestras e bandas, as flores que enfeitam nossos altares e andores, o toque de nossos sinos, o perfume do incenso e das ervas aromáticas e os alegres fogos de artifício, que colocam mais estrelas coloridas no céu de São João del-Rei.

Ao nos lembrar o Paraíso, este magnífico universo religioso são-joanense nos arrebata da condição de seres imperfeitos, nos inspira a orientar nossos passos e nossos atos na direção do Bem e nos convida a ver e sonhar com a Luz, com a Justiça e com a Bondade. Convite que Padre Geraldo convictamente reforça, nas pregações, sermões e homilias que faz e no entusiasmo de um canto firme e vigoroso, que em tese nos remetem a uma importante recomendação do profeta São João Batista, quando clamou no deserto: “Preparai os caminhos do Senhor. Endireitai suas veredas”.

Obrigado, Padre Geraldo Magela da Silva. O Almanaque Digital Tenções e Terentenas de São João del-Rei louva e singelamentee agradece, com este texto, seu zelo e sua dedicação a Deus, à fé, ao povo, às tradições e à cultura de nossa terra!

Texto: Antonio Emilio da Costa | Almanaque Digital Tencões e Terentenas

Fonte: diretodesaojoaodelrei.blogspot.com