Seminaristas serão instituídos para o Ministério do Acolitado em julho

O dia 15 de julho será especial para a Diocese de São João del-Rei, principalmente para os seminaristas Diego Adriano Ricardo e Rutiero Carvalho. A data, escolhida na última quarta-feira, 21, pelo Conselho Diocesano de Formação, vai marcar a instituição dos jovens ao Ministério do Acolitado. O Ministério de Acólito, no contexto da formação sacerdotal, é um importante passo junto com o Ministério de Leitor. Eles apontam para a proximidade da conclusão do período de formação e introduzem o seminarista já no contexto da celebração de uma forma mais ativa e próxima.

Segundo o reitor do Seminário São Tiago, padre Javé Domingos, este novo passo aponta para os graus futuros do Sacramento da Ordem: o Diaconato e o Presbiterado e os inserem diretamente na missão e no serviço da Igreja. “O ministério do Acolitado é uma fase importante na formação do futuro padre por que insere aquele que vai ser ordenado no serviço ministerial da Igreja, no caso, o serviço do altar. Com isso eles são convidados, como ministros oficiais da Igreja, a se aproximarem do altar para o serviço da liturgia, da comunhão aos doentes, da adoração eucarística. Esse ministério é o de serviço e deve ter uma vivencia eucarística mais profunda e fundamentada. É um passo a mais na caminhada vocacional desses jovens, inseridos ainda mais no serviço da nossa Igreja”.

Uma vez tornado acólito, ele passa a ser ministro de eucaristia extraordinário, de modo permanente na Diocese. Com o Acolitado, o seminarista é permitido auxiliar na preparação do altar durante a Celebração Eucarística, na distribuição da Sagrada Comunhão e também na purificação dos vasos sagrados após a comunhão.

Para os jovens, uma grande expectativa e emoção. “O sentimento que passa em meu coração é de alegria e expectativa. Alegria por estar galgando mais uma etapa na formação e expectativa por aquilo que o Ministério pode acrescentar e fortalecer em minha caminhada. Ser Acólito é estar mais perto do altar do Sacrifício, poder realizar a experiência com o Sagrado de uma maneira mais íntima e salutar. Minha palavra de agradecimento ao Conselho de Formação, Ordem e Ministério de nossa Diocese, na pessoa de nosso Bispo Diocesano Dom José Eudes, pela confiança em mim depositada”, destaca o seminarista Diego Adriano Ricardo.

Sentimento similar de Rutiero. “No caminho de serviço da Igreja, nos passos que damos rumo ao sacerdócio ministerial, alguns ministérios nos são conferidos. Tendo recebido no ano passado o ministério do Leitorato recebi com grande alegria e espírito de gratidão a aprovação do Sr. Bispo Diocesano para o ministério do Acolitato. Ele é, assim, sinal da confiança da Igreja em minha vocação e ao mesmo tempo momento oportuno para me disponibilizar, ainda mais, ao serviço de Deus e da Igreja, aos irmãos e irmãs”, destaca.

A celebração vai acontecer no sábado, dia 15, às 09 horas, na Capela do Seminário São Tiago, no Bairro Cohab. A cerimônia também vai marcar o envio dos jovens para a Jornada Mundial da Juventude, que vai acontecer no início de agosto, em Lisboa, Portugal.

Os jovens Diego e Rutiero, juntamente com o Reitor do Seminário São Tiago, Padre Javé Domingos da Silva.

 

Conclusão da graduação

Finalizando mais uma etapa de formação, os jovens Diego e Rutiero deram o último passo da graduação em Teologia nesta quinta-feira, 22, com a apresentação do Trabalho de Conclusão do Curso (TCC). “O meu trabalho foi sobre a teologia, liturgia e simbologia do espaço litúrgico. Foi um momento de grande felicidade e gratidão pelo cumprimento de mais um passo da minha jornada acadêmica e formativa”, pontua Rutiero.

Já Diego falou sobre Religiosidade Popular pressupostos eclesiológicos e litúrgicos: a dança de São Gonçalo do Amarante em Ibituruna. “O trabalho de conclusão de Curso é um momento especial na vida acadêmica, pois, apresentamos uma linha de pesquisa a escala de determinado assunto, que foi motivo de dúvida ou de interesso no decorrer da graduação. O meu trabalho versou sobre a Religiosidade Popular desde o Brasil colônia, até chegar nos dias atuais, destacando a dança em Ibituruna. Perpassando também por documentos eclesias que abordam a Religiosidade Popular como um encontro com o Cristo. Qualquer manifestação de fé, deve levar a Cristo, que é a nossa referência. São Gonçalo do Amarante com suaviza e dança conseguiu levar muita as ao Evangelho de uma forma alegre e descontraída, fez com que o Evangelho chegasse em diversas realidades. Está foi a linha de pesquisa usada no trabalho de conclusão de curso, mais uma etapa, nesta preparação para o Sacerdócio”, destaca.