Solenidade da Santa Mãe de Deus

Lc 2,16-21

Durante o tempo todo o natal, em que se celebra o nascimento de Cristo, não podemos nos esquecer de celebrar também a divina maternidade de Maria.

A compreensão de Maria como Mãe de Deus é um dos dogmas mais antigos do Cristianismo, mas o dogma, embora digamos mariano, tem Cristo como referência. Em outras palavras é uma confissão cristológica em forma mariológica, como nos atesta a definição do Concílio de Éfeso (431) “Se alguém não confessar que o Emanuel é Deus no sentido verdadeiro e que, portanto, a santa Virgem é deípara(pois gerou segundo a carne o Verbo que é de Deus e veio a ser carne), seja anátema.”

A 1ª leitura é tirada de Nm 6,22-27. Este texto É fere-se a maria apenas de maneira indireta. Esta perícope Contem uma Fórmula de pensam que os sacerdotes de Israel Pronunciavam sobre o povo no fim das cerimônias litúrgicas. Cristo é uma autêntica benção pois, Nele e por Ele, a humanidade entra em comunhão com Deus, e Maria, de modo privilegiado,é objeto dessa bênção do Pai em Jesus Cristo.

A 2ª leitura retirada da carta de São Paulo aos Gálatas nos traz o testemunho mais antigo conservado sobre Nossa Senhora: “Quando chegou a plenitude dos tempos,
Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher e sujeito à Lei, para resgatar os que estavam sujeitos à Lei e nos tornar seus filhos adotivos. Nesse excerto de Paulo vemos a mulher, da qual nasceu dar seu jeito Jesus, mulher de eleição, a primeira a ser beneficiada por tudo aquilo que de graça e de alegria no abaixamento do Filho de Deus.

O evangelho retirado de Lc 2,1621. Essa perícope mostra como a chegada do projeto salvador de Deus provoca alegria naqueles que não têm outra possibilidade de acesso à salvação: os pobres e os débeis. O evangelho convida-nos, também, a louvar a Deus pelo seu cuidado e amor para com os homens. Vemos também Maria, a mulher que proporcionou o nosso encontro com Jesus, é o modelo do crente que é sensível ao projeto de Deus, que sabe ler os seus sinais na história, que aceita acolher a proposta de Deus no coração e que colabora com Deus na concretização do projeto divino de salvação para o mundo.