Solenidade da Santíssima Trindade

Mt 28,16-20

ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo

No Domingo após Pentecostes celebramos a Santíssima Trindade. Isso acontece pelo fato de algumas solenidades do calendário não possuírem data fixa. O Mistério da Santíssima Trindade constitui o coração do cristianismo pois é o tratado que entende Deus assim como ele é: Pai, Filho e Espírito Santo.

Na liturgia da palavra as leituras sublinham a ação salvífica das três pessoas divinas presentes no povo de Deus. O trecho do Deuteronômio (4,32 34.39-40) afirma que nenhum povo da terra teve a experiência de Deus como Israel: ouviu a voz do Senhor, foi escolhido e libertado por ele. Essa experiência obriga Israel a reconhecer que o Senhor é o único Deus e a observar as suas leis.

A experiência de Deus é completa com Jesus. O texto do Evangelho de Mateus (28,16-20) apresenta-nos o Ressuscitado no momento em que ele confia a continuação da sua missão aos Onze, antes de subir ao Pai, e assegura: “Eis que eu estarei com vocês todos os dias, até o fim do mundo”. Como dom do Espírito, a experiência de Deus é intima e profunda: recebemos um Espírito de filhos adotivos, através do qual gritamos: “Abba, Pai!”. O próprio Espírito atesta ao nosso espírito que somos filhos de Deus (segunda leitura, Rm 8,14-17).

26 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).