XVI Domingo do Tempo Comum

Ev Lc 10, 38-42

“Tu te preocupas e andas agitada por muitas coisas, porém uma só coisa é necessária.” (Lc 10, 41-42)

Tanto a primeira leitura do domingo, como a do evangelho, dizem para nós da necessidade de sabermos acolher as pessoas, seja em nossas casas, seja no espaço do nosso coração. Abraão e Sara acolhem em sua tenda no deserto os três viajantes, que são mensageiros de boas notícias. Eles teriam um filho, ainda que fossem idosos! Marta, Maria e Lázaro acolhem Jesus em sua casa, sinal do bem querer de Jesus para com aquela família da Betânia. A verdadeira hospitalidade não consiste em preparar muitas coisas, mas em acolher o dom que é a outra pessoa que vem ao nosso encontro.

Jesus faz ver a Marta que ela está muito ocupada e preocupada com muitas coisas, enquanto uma só é necessária. Esta observação de Jesus para com Marta é para que ela possa observar que há uma escala de valores em nossas escolhas. Principalmente com relação à amizade e ao encontro com o Senhor é necessário escutá-lo. É a partir do escutar a Jesus que poderemos tomar iniciativas e decisões mais sensatas e realizar as coisas de acordo com sua orientação.

Jesus se deixa encontrar, mas é necessário que demos o tempo a ele. Às vezes somos muito agitados, preocupados com muitas coisas e não percebemos que Jesus chega tão próximo de nós: na meditação da Palavra de Deus, na participação da Eucaristia, nas pessoas dos que sofrem, nos acontecimentos do nosso cotidiano. No mundo de hoje falta-nos aquilo de que os grandes místicos da Igreja nos ensinam: contemplar e acolher o mistério de Deus em nós, para sermos fortes diante das exigências do mundo de hoje e darmos nosso testemunho de fé.

D. Célio de Oliveira Goulart – Bispo Diocesano

24 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).