22º Domingo do Tempo Comum

Lc 14,1.7-14

 “PORQUE QUEM SE ELEVA, SERÁ HUMILHADO E QUEM SE HUMILHA, SERÁ ELEVADO”

 

No evangelho deste domingo vemos Jesus à mesa com os fariseus em um sábado. Lucas narra uma refeição solene de sábado, que se tomava por volta do meio-dia, ao voltar da sinagoga. Para ela eram convidados os hóspedes; durante a refeição, continuava-se a discussão sobre as leituras escutadas durante a liturgia da sinagoga.

Os fariseus eram um dos  principais grupos religioso-políticos da sociedade palestina desta época. Dominavam os ofícios nas sinagogas e estavam presentes em todos os passos religiosos dos israelitas. Eram homens que buscavam viver a radicalidade da lei mosaica em suas vidas. Tratava-se de um grupo sério, mas ao absolutizar a Lei, esqueciam as pessoas e passavam por cima do amor e da misericórdia.

O excerto evangélico tem duas partes, sendo que a primeira versa sobre a questão da humildade e a segunda fala da gratuidade e do amor. Na primeira parte vemos Jesus exortar aos convidados que estavam sentados nos lugares de honra. Note bem que, no Antigo Testamento (Pv 25,6-7), havia uma recomendação para não ocupar os primeiros lugares. Jesus quer dizer que aquele que o segue deve fazer-se pequeno, simples, humilde e não ter pretensões de ser melhor, mais justo, ou mais importante que os outros.

Na segunda parte do evangelho Jesus chama a atenção para a prática que os fariseus tinham de convidar apenas os amigos e pessoas de alto nível. Jesus indica que, para o banquete do Reino de Deus, todos os seres humanos são convidados; e que a gratuidade e o amor desinteressado devem caracterizar as relações estabelecidas entre todos os participantes deste banquete.

Fonte: dehonianos.org