Às vésperas da posse como pároco da Paróquia Dom Bosco, padre Roberto fala sobre expectativas, vocação e juventude

Toma posse neste sábado, 28, na Paróquia São João Bosco, em São João del-Rei, o novo pároco salesiano, padre Roberto Modesto Carneiro. O sacerdote já vem realizado o trabalho na paróquia como vigário, mas agora, passa a ser o novo administrador e, por isso, concedeu uma entrevista à Pastoral da Comunicação Diocesana, falando sobre sua vocação, do trabalho com a juventude e das expectativas às vésperas de assumir a missão paroquial. Confira:

 

PASCOM: Como sentiu sua vocação à vida religiosa?

PADRE ROBERTO MODESTO: Eu era ainda criança quando senti dentro de mim uma vontade imensa de querer ajudar as pessoas, especialmente as mais pobres e que portavam alguma questão que as levava à marginalização: síndrome de Down, hanseníase… A casa de meus pais era sempre um ponto de apoio para as pessoas que precisavam de víveres e outros tipos de ajuda. Minha mãe sempre levava os filhos para a Igreja, a fim de participarem das missas, das festas de santos, para o Sacramento da reconciliação, etc. Ela nos ensinou a caridade para com todos. Fui convivendo também com religiosos(as) que puderam demonstrar uma vida espiritual intensa e de bastante altruísmo. Minha paróquia de origem estava sob a responsabilidade dos Frades Menores Capuchinhos, os quais estavam sempre em contato com o povo. Tive tias freiras e professor que se tornou padre diocesano. Isto também foi me levando a refletir e ser atraído pela Vida Consagrada. Aos 14 anos, depois de discernimento e acompanhamento vocacionais, entrei na Congregação dos Salesianos de Dom Bosco, onde estou até hoje. Uma coisa que sempre foi forte demais para o meu alimento vocacional: o amor a Jesus Eucarístico e a Maria, a Mãe de Jesus e nossa.

 

PASCOM: O que significa ser salesiano no contexto de seu trabalho pastoral?

PADRE ROBERTO MODESTO: Significa ser consagrado a Deus e a seu povo, numa missão especial de serviço às juventudes. O foco deve ser sempre a juventude, especialmente a mais pobre, e as classes populares. Ser outro Cristo no meio desta porção tão especial aos olhos de Deus, levando a Palavra, na possibilidade de resgate da dignidade de cada ser humano. Em relação aos jovens, como queria Dom Bosco: levando-os a serem “Bons Cristãos” e “Honestos Cidadãos”.

 

PASCOM: Como o senhor avalia o trabalho com a juventude na diocese desde que chegou a São João del Rei?

PADRE ROBERTO MODESTO: Diocese de São João Del Rei-MG sempre houve uma preocupação com o acompanhamento da juventude. A presença ativa e organizações espontâneas da juventude nas paróquias se fez uma constante. Com ou sem o apoio dos párocos, isto acontecia!

Com Dom Célio de Oliveira Goulart, a partir do 2010, surgiu o desafio e a necessidade da criação de um Setor Juventude, como uma estrutura de acompanhamento dos diversos segmentos eclesiais que trabalham com a juventude na diocese. Em 2011, com a chegada a São João Del Rei das réplicas da Cruz da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) e do ícone de Nossa Senhora houve um grande impulso para isto. As mesmas foram benzidas por D. Célio e enviadas em visita a todas as paróquias da diocese. Assim sendo, os grupos foram mapeados e os jovens convocados a uma organização em vista da comunhão de todos e um trabalho acompanhado e com assessoria especializada. Muito já foi feito. Mas, muito ainda há de ser feito.

 

PASCOM: Tendo sido nomeado como pároco da paróquia São João Bosco, quais são suas expectativas para essa nova missão?

PADRE ROBERTO MODESTO: Ser animador da paróquia, que deve ser uma Comunidade de Comunidades. Ser pastor, dentro do exercício constante da maternidade da Igreja, com misericórdia, compreensão, perdão e amor. Não me vejo trancafiado em estruturas desumanizantes e obtusas, mas sempre num movimento constante de saída, missão, dialogando com o diferente, com o mundo. Com o Espírito de Deus em mim e a consciência clara de ter sido chamado a anunciar a Boa-Nova aqui e agora, conto com a ajuda de cada um e as suas orações. Todas as pessoas são muito importantes para mim. É missão também do pároco congregar as diversas diferenças humanas que encontra e inseri-las na universalidade da Igreja. Desejo ser promotor da comunhão da comunidade a partir do Mistério Trinitário e da união entre os seus membros. Seremos juntos discípulos missionários de Jesus Cristo.

 

PASCOM: Que mensagem gostaria de deixar aos jovens e aos paroquianos no início dessa nova missão?

PADRE ROBERTO MODESTO: “Deus colocou-nos neste mundo para os outros”, disse Dom Bosco. Nós somos passageiros aqui nesta terra e neste tempo. Recebemos tudo para a nossa administração. Portanto, façamos como Jesus Cristo, passemos o nosso tempo na terra fazendo o bem. Só isto! Vamos que vamos.

 

Colaboração: Pascom Dom Bosco sem Fronteiras

Paróquia Salesiana Santuário São João Bosco