Rio das Mortes recebe devotos em celebração que recorda batismo de Nhá Chica

O distrito do Rio das Mortes celebrou neste domingo, 28, o batismo da beata Francisca de Paula de Jesus, popularmente conhecida como Nhá Chica. Há 209 anos, a pequena menina, filha de uma ex-escrava, recebeu na antiga capela de Santo Antônio, os óleos santos do batismo. O Decreto que institui a festa foi assinado por Dom Célio Goulart, então bispo da diocese, pedindo que todo o dia 26 de abril se faça a memória do recebimento sacramental.

As celebrações festivas iniciaram na igreja matriz, com a recitando do Terço da Bem-Aventurada Nhá Chica. Lá foi o ponto inicial da caminhada que contou com café compartilhado logo na primeira parada do percurso. “Foi uma peregrinação abençoada com todos manifestando sua fé e devoção à nossa querida Beata Nhá Chica”, destacou Maria Carmelita Ribeiro Matias.

Lá na pequena igreja – em construção – dedicada à beata, padre Geraldo Sergio França, pároco da Paroquia Santo Antonio e Bem-Aventurada Nhá Chica, presidiu a celebração. Na homilia, o sacerdote falou sobre a figura dos santos e a importância de tornar Jesus conhecido e amado.

Em meios as comemorações, um motivo louvável: a certidão tardia de nascimento de Francisca de Paula de Jesus. O documento, registrado no último dia 26, foi apresentado durante a celebração.

Nascida em Santo Antônio do Rio das Mortes, distrito de São João del-Rei, a beata foi para a cidade de Baependi ainda pequena e ali viveu até sua morte. Seu trabalho de evangelização na cidade incluía o acolhimento aos mais necessitados e o aconselhamento.

24 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).