Sagrada Família: Jesus, Maria e José

(Lc 2,41-52)

Não sabeis que devo estar na casa de meu Pai?

Durante a oitava de natal temos a festa da Sagrada Família. Esta festa recorda que o mistério da encarnação é um mistério de partilha. O Filho de Deus veio partilhar em tudo, exceto no pecado, da nossa condição humana; veio para fazer parte da família humana, vivendo na obediência e no trabalho dentro de uma família concreta. Nessa família, emergem os valores e as virtudes que devem caracterizar qualquer família humana.

O evangelho deste domingo é retirado de Lc2,41-52. Este evangelho é retirado do chamado “Evangelho da Infância” de Lucas. A finalidade desteevangelho da infância não é fazer uma reportagem ou um relato histórico a respeito dos primeiros anos da vida de Jesus, mas sim fazer uma catequese sobre Jesus. Essa catequese apresenta alguns dados teológicos a respeito de Jesus.

A catequese proposta para este domingo nos situa em Jerusalém. A Lei de Israel pedia que os homens fossem ao menos 3 vezes por ano a Jerusalém pela ocasião das 3 grandes festas. Embora o cumprimento dessa lei não fosse obrigatório até os 13 anos, muitos pais levavam os filhos antes dessa idade. Jesus tem 12 anos e, de acordo com o evangelho, foi com Maria e José a Jerusalém celebrar a Páscoa. É neste ambiente de Jerusalém e do Templo que Lucas situa as primeiras palavras pronunciadas por Jesus no Evangelho. Elas são, sem dúvida, o centro do nosso relato.

Toda a narrativa tem seu centro na palavra profética de Jesus no Templo: “Não sabíeis que eu devo estar na casa do meu Pai?” Nesta fala, Jesus revela a sua intima relação com Deus, o Pai, assim como foi anunciado pelo anjo. Nestas primeiras palavras de Jesus no Templo é possível perceber qual vai ser o tom do seu discurso durante a vida pública, quando interpretará a sua missão reportando-se a um projeto divino.

No relato evangélico desse domingo é possível também ver referências à paixãomorte e ressurreição de Jesus. Tanto o episódio de hoje, como os fatos relativos à morte e ressurreiçãoestãosituados num contexto pascal; em ambas as situações Jesus é abandonado – aqui por Maria e José e, mais tarde, pelos discípulos – por pessoas que não compreendem que a sua prioridade é o projeto do Pai; em ambas as situações, Jesus é procurado (cf. Lc 24,5) e tem de explicar que a finalidade da sua vida é cumprir aquilo que o Pai tinha definido (cf. Lc 24,7.25-27.45-46).

Nesse excerto do evangelho Lucas nos dá uma chave de interpretação para a vida de Jesus: Ele veio ao mundo para fazer a vontade do Pai, ou seja, realizar o seu projeto de amor e Salvação em benefício do ser humano. Assim, com esse episódio no templo se encerra o “Evangelho da Infância” e nos encaminha para o grande evangelho público, em que o mestre mostrará sua íntima comunhão com o Pai numa fidelidade que vai até a morte na cruz.