Solenidade da Santíssima Trindade

Jo 16,12-15

QUANDO, PORÉM, VIER O ESPÍRITO DA VERDADE, ELE VOS CONDUZIRÁ À PLENA VERDADE. POIS ELE NÃO FALARÁ POR SI MESMO, MAS DIRÁ TUDO O QUE TIVER OUVIDO; E ATÉ AS COISAS FUTURAS VOS ANUNCIARÁ.

Depois do tempo pascal, concluído no domingo passado com o Pentecostes, a liturgia voltou ao “tempo comum”. Mas isto não significa que o empenho dos cristãos deva diminuir, aliás, tendo entrado na vida divina mediante os Sacramentos, somos chamados quotidianamente a estar abertos à ação da Graça, para progredir no amor a Deus e ao próximo.

O domingo da Santíssima Trindade, num certo sentido, recapitula a revelação de Deus que aconteceu nos mistérios pascais: morte e ressurreição de Cristo, a sua ascensão à direita do Pai e a efusão do Espírito Santo. O Mistério da Santíssima Trindade constitui o coração do cristianismo, pois é o tratado que entende Deus assim como ele é: Pai, Filho e Espírito Santo.

O mistério da Santíssima Trindade é o mistério central da fé e da vida cristã. Deus se revelou como Pai, Filho e Espírito Santo. Foi Nosso Senhor Jesus Cristo quem nos revelou este mistério. Ele falou do Pai, do Espírito Santo e d’Ele mesmo como Deus. Logo, não é uma verdade inventada pela Igreja, mas revelada por Jesus. Não a podemos compreender, porque o Mistério de Deus não cabe em nossa cabeça, mas é a verdade revelada.